Aš˙car refinado, farinha branca e gl˙ten: vil§es comprovados

23/5/2016        

 
 
 

TERAPEUTA EXPLICA A AÇÃO DESSES ALIMENTOS NO ORGANISMO

 

O artigo Os malefícios do açúcar branco, destaca 76 modos do açúcar “acabar” com a saúde, dentre este inúmeros males está a ação do açúcar sobre o sistema imunológico, enfraquecendo-o e prejudicando a defesa do organismo contra doenças infecciosas. O consumo da substância também pode elevar rapidamente os níveis de adrenalina no organismo, que gera ansiedade, dificuldade de concentração e irritabilidade em crianças. O consumo frequente de açúcar também leva à perda de elasticidade e funcionalidade dos tecidos.

O terapeuta ayurvédico, Adriano Caceres, destaca que não se pode colocar todos os açúcares em um mesmo grupo, porque existe desde o açúcar refinado (o mais nocivo) que é uma substância química, em que a sacarose se apresenta concentrada chegando a um nível de 99,5%, assim como existe o açúcar mascavo, que é rico em ferro, em alguns minerais e vitaminas e que poderia ser consumido em quantidades equilibradas no lugar do açúcar refinado.

O especialista alerta que a maioria das pessoas perdeu a noção de que o açúcar está embutido em praticamente todos os alimentos que se consome:

“Em uma festa infantil, por exemplo, numa confeitaria ou padaria, é praticamente impossível encontrar um alimento que não tenha açúcar. Se você entra no supermercado e começa a olhar a composição dos alimentos, é praticamente impossível encontrar um alimento que não tenha açúcar.”

O artigo Estudo: açúcar é oito vezes mais viciante do que a cocaína, esclarece que segundo estudo realizado com 504 pessoas, descobriu-se que os comportamentos e atitudes em relação aos alimentos com alto valor glicêmico refletiam sobre os padrões de dependência química. Assim como vários estudos sugerem que alimentos agradáveis ao paladar e processados, podem induzir mudanças e comportamentos nos cérebros das pessoas, iguais aos que são encontrados em diagnósticos de vícios como drogas e álcool.

“O açúcar estimula determinadas áreas do cérebro responsáveis por recompensa, é um alimento altamente viciante. Uma pesquisa da Unifesp mostrou que 53% dos bebês tomam refrigerante frequentemente antes do primeiro ano de vida, é um dado muito preocupante, uma coisa absurda”, alerta o terapeuta.


O QUE ESTÁ POR TRÁS DA FARINHA BRANCA? 



A matéria Farinha branca traz riscos de obesidade, diabetes e doenças crônicas, explica que o alimento é pobre em nutrientes, possui alto valor glicêmico e ação semelhante a do açúcar no organismo. Outro destaque da matéria é o de que o processo de refinamento pelo qual passa a farinha branca, a faz perder 80% da quantidade de fibras, portanto utilizar alimentos integrais na dieta, à base da farinha integral é o mais recomendado.

O especialista alerta que alguns venenos estão escondidos no pão nosso de cada dia, como é o caso do glúten, que induz à hiperpermeabilidade intestinal, a farinha branca também concentra o brometo, que costuma ser usado como conservante e é um dos fatores que contribuem para o hipertireoidismo, pois diminui a captação de iodo pela tireóide; possui azodicarbonamida que é um componente que é usado na fabricação de plásticos e também é utilizado como conservante em pães: 

“Temos a aloxana que é uma droga que é utilizada para induzir diabetes em ratos e isso também é colocado em algumas farinhas de trigo. Temos os fungos e as micotoxinas que são produzidas pelos fungos, e não há o controle do teor de microtoxinas presente nas farinhas, é um problema de saúde pública.”

O alerta do terapeuta é também para o fato de que na farinha de trigo podem ser encontradas partes de insetos, de carunchos e de baratas, assim como ele traz à tona a questão de que existe na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) uma resolução que permite a presença de insetos a cada determinada quantidade de farinha. Segundo a resolução (ver no final da matéria) a cada 50 gramas de farinha branca podem ser encontradas até 75 partes de insetos e em casos de alimentos derivados de farinha, podem ser encontradas 225 partes de insetos em 225 gramas do produto. 


OS MALEFÍCIOS DO GLÚTEN



O especialista alerta que as variedades modernas de glúten possuem 400% mais glúten do que as variedades primitivas. Outro fato destacado pelo terapeuta é o de que o homem passou a fazer agricultura de dez mil anos para cá, o que quer dizer que os grãos e cereais, são alimentos que foram introduzidos na dieta humana relativamente há pouco tempo.

“O glúten está associado ao câncer, às doenças autoimunes, à osteoporose, a desordens do cérebro, doenças do sistema nervoso em geral, doenças intestinais, dores crônicas, desordens digestivas, infertilidade, há uma série de condições que estão associadas ao glúten”, explica.
 
O terapeuta destaca que um dos componentes presentes no glúten conhecido como gliadina, causa o aumento na translocação de uma proteína conhecida como zonoelina, que quando translocada se liga a alguns receptores e inibe as proteínas ocludinas e claudinas, responsáveis pela adesão das células do epitélio gastrointestinal: “Quando essas proteínas são inibidas, o resultado é a hiperpermeabilidade intestinal, essas células se separam e o material do intestino passa diretamente para a corrente sanguínea e terá contato com as células do sistema imune que darão resposta imune”. O especialista acrescenta que com a hiperestimulação ao sistema autoimune, as células passam a produzir anticorpos e um estado de intolerância pode ocorrer, na maioria dos casos.

Cuidar da alimentação diária é fundamental para a manutenção da saúde. Se a dieta estiver muito desequilibrada, procurar a ajuda de um nutricionista é recomendado.

 
 
 
 
Adriano Caceres é Graduando em Nutrição e Terapeuta Ayurvédico


 
 
Fontes

Semav. Semana da Alimentação Viva.

Os malefícios do açúcar branco. Viva Plenamente. www.vivaplenamente.net/os-maleficios-do-acucar

Estudo: açúcar é oito vezes mais viciante do que a cocaína. Essential Nutrition: essentialnutrition.com.br/conteudos/acucar-viciante

Farinha branca traz riscos de obesidade, diabetes e doenças crônicas. Bolsa de Mulher: www.bolsademulher.com/corpo/farinha-branca-traz-riscos-de-obesidade-diabetes-e-doencas-cronicas

Resolução da Diretoria Colegiada - RDC n° 14, de 28 de março de 2014. D.O.U. Seção I, nº 61, de 31 de março de 2014. Dispõe sobre matérias estranhas macroscópicas e microscópicas em alimentos e bebidas, seus limites de tolerância e dá outras providências
 



comentários