O que as gestantes comem na gravidez pode interferir na preferÍncia alimentar do filho

3/9/2016        

 

 

Nutricionista explica que na fase intrauterina o feto já experimenta tudo o que a mãe come, por meio do líquido amniótico 


Como você se alimentou durante a gravidez? O que muitas mães ainda não sabem é que a dieta na gestação é um dos fatores responsáveis pelas escolhas que o seu filho faz na refeição. Quando a criança não tem apetite, e faz aquele drama para comer, se questione: como se alimentava ao decorrer da gravidez? 
 
Segundo o estudo realizado pela Universidade de Denver, nos Estados Unidos, a escolha alimentar da criança é iniciada desde a gestação, a partir das seleções que a mãe faz no cardápio. Se ao longo da gestação houve um consumo de alimentos mais saudáveis e uma dieta balanceada, a criança tende a seguir esse hábito. Contudo, se a mãe abusou na ingestão de junk foods , alimentos gordurosos e açucarados a criança também pode preferir essas substâncias e rejeitar os nutrientes que são importantes para o crescimento saudável. 
 
 
A nutricionista materno-infantil, Karine Durães, explica que o bebê pode sentir o sabor do alimento na fase intrauterina por meio do líquido amniótico. “Fizeram um estudo com dois grupos de gestantes. Um grupo, as mães tomaram suco de cenoura durante a gestação, enquanto a outra equipe não ingeriu. Os bebês das mães que inseriram a cenoura na dieta tinham reações melhores ao comer a papinha com o alimento”, conclui. 
 
Segundo a médica se a mãe deseja que o filho tenha uma alimentação saudável e goste dos alimentos que são ricos em vitaminas e nutrientes, ela deve desde a gravidez também fazer essa seleção. 

“Insira alimentos variados como o amargo, o azedo, tente variar bastante a alimentação para que seja um fator a menos de risco para a criança ter uma preferência alimentar mais restrita”, recomenda. 
 
Cuidado com os alimentos que vai comer durante a amamentação
 
A nutricionista recomenda ter uma alimentação balanceada nessa fase e principalmente evitar alimentos ricos em açúcares. Quando a mãe ingere grande quantidade de doces ao dia a tendência é que o leite fique adocicado, podendo interferir mais tarde na preferência alimentar da criança por doces e rejeição pelos alimentos salgados, como costuma ser as refeições. 

“Os estudos também relatam que as crianças amamentadas exclusivamente até os seis meses tinha tendência a ter um paladar mais diversificado. Enquanto aquelas que deixaram o leite materno antes dos seis meses e já foram introduzidas a outros alimentos, podem gerar uma maior recusa durante as refeições”, salienta. 

Tal mãe, tal filho na hora das escolhas alimentares
 
Segundo os pesquisadores do estudo realizado na Universidade de Denver as gestantes ou lactantes que consomem bebidas alcoólicas atraem o feto para o contato com as substâncias, pois geralmente aguardam todos os alimentos que são consumidos pela mãe. Os pesquisadores alimentaram grupos de ratas gravidas e lactantes com uma dieta balanceada e a outra com uma dieta mais saborosa.
 
 
Na época do desmame os filhotes das mães que se alimentavam dos alimentos mais saborosos apresentaram alterações nos glomérulos olfativos- área responsável pela detecção dos cheiros-, mais aguçada do que aqueles com dieta balanceada. Esses filhotes preferiam os alimentos que a sua mãe consumiu, diferente dos camundongos das ratas que consumiram alimentos mais saudáveis, que não tiveram preferência. 
 

Participação da nutricionista materno-infantil, Karine Durães
Congresso: Alimentação e hábitos saudáveis na infância
 
Referências:
 
http://www.ecodesenvolvimento.org/noticias/dieta-durante-a-gravidez-influencia-gosto-da
 



comentários